"Qual o sentido da vida?" Você provavelmente já deve ter se perguntado isso alguma vez. No entanto, algumas pessoas
acham que essa é uma pergunta sem importância, e saem a viver suas vidas, lutando contra seus desafios como quem abre
caminho entre o mato fechado. Aqui você irá descobrir a importância que tem para as pessoas essa questão, bem como
descobrirá que, para a Psicologia, inclusive, esse assunto poderá ser fundamental.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Algumas Definições Importantes


*Deixo aqui estes recortes de literatura, tão importantes para quem estuda a felicidade. Abaixo de cada um encontra-se a referência.


Felicidade (etimologia): a origem deste vocábulo vem do latim antigo felix (genitivo felicis), que originalmente significava fértil, frutuoso (aquilo que dá frutos), fecundo. Assim, posteriormente felix passou a designar feliz, afortunado, satisfeito, alegre. Para Sócrates, como para todos os filósofos gregos, o segredo de tudo é a felicidade. A palavra grega para designar o sentimento de felicidade é eudaimonia, que, literalmente, significava em boa (= eu) situação no que se refere a daimons (demônios ou espíritos). Desse [sic] modo, felicidade é viver com bons espíritos, sendo que os antigos filósofos não definiam o que consideravam "bons espíritos"; antes, eles se referiam a espíritos que estão fora ou dentro da pessoa.

ZIMERMAN, David E. Etimologia de Termos Psicanalíticos. Porto Alegre, RS: Artmed, 2012. p. 135-136.


ALEGRIA. […] Uma das emoções fundamentais do homem, conforme tradicionalmente enumeradas, mais precisamente a que consiste numa sensação agradável e difusa, decorrente da previsão de um bem superveniente. […]
A definição de A. permaneceu substancialmente a mesma nos filósofos modernos. […]

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. 6.ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012. p. 25.


VIRTUDE (para Aristóteles): É o que apresenta o ser humano que desempenha bem sua função. É o que torna bom o ser humano.

Há dois tipos de virtude: 1) virtude intelectual – Gera-se e cresce pelo ensino. Por exemplo: sabedoria filosófica, compreensão, sabedoria prática. 2) virtude moral – É adquirida com o hábito. Por exemplo: liberalidade, temperança, coragem, espirituosidade, calma, magnanimidade, magnificência.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. In: BORNHEIM, Gerd. et al. (trad.) Aristóteles. Coleção Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1984. v. 2.

Nenhum comentário:

Postar um comentário